Saudade

SAUDADE

O tempo para, e assalta a mente.
A mente vagueia.
Rodeia.
Põe-se a vista num universo de sentimentos opostos, como alimentos
impostos à alma.
Alma que cresce…
Tempo que passa…
Saudade que fica!
E a tal saudade? O que seria?
Saudade é dor e nostalgia.
Saudade é melancolia.
Saudade é o cheiro de bebê no colo da mãe.
Saudade é o medo do porvir.
Saudade é ouvir “aquela cantiga”, cantada pela pessoa amada.
Saudade é a bola dos amigos,
O ralho dos pais,
O café posto na mesa,
O canto do sabiá,
A música de época,
Do tempo em que não sabia tanto sobre…
Saudade.
Saudade é o carinho de quem partiu.
Saudade é a voz que se calou.
Saudade é aquele vento que uivou e cresceu, tornando-se um furacão.
Vento que o tempo arrefeceu, e que hoje aquece o coração como brisa que
sempre foi.
Saudade é um “eu te amo”.
Um “te perdoo”.
Um “me deixa”.
Um… “voltei”.
Saudade é um beijo calado, roubado.
Um olhar de lado, repleto de significado que só a intimidade pode decifrar.
Saudade é cor em preto e branco.
Saudade é uma viagem ao inesperado.
À vida que se foi.
À que se tem medo de viver.
À que não se viverá.
Saudade é o choro da criança.
Saudade é o leite derramado do peito.
Saudade é a frase que ecoa no ouvido do surdo.
Saudade é a palavra na boca do mudo.
Saudade é a areia escorrendo por entre os dedos quando as mãos já não
podem fazer mais nada, para que se evite a tal… Saudade.
Saudade, para o poeta, é: “amor em forma de lembrança”.
Amor vivido com intensa alegria.
Ou então, saudade nem mesmo existiria.
Dê à saudade a dignidade merecida.
Chore e sorria.
Pouco importa o tempo.
Sem qualquer autopiedade, pois saudade e idade andam juntas.
Ensinam juntas, e juntas se vão para a divindade.
Retornam para quem as criou.
Será que encontrarei Deus em minha saudade?


Harley Wanzeller 29.08.2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *